ENFOCANDO NA INFO QUANDO ACONTECE

SAIBA MAIS-Como será o resgate dos mineiros no Chile

SANTIAGO (Reuters) – Um minucioso plano para a última fase do resgate de 33 trabalhadores presos numa mina do Chile inclui toques da engenhosidade local, máquinas de última geração e uma rígida dieta para os homens nas profundezas.

Dois a quatro socorristas descerão até o fundo da mina pela cápsula construída especialmente para o regate. Ainda lá embaixo, os trabalhadores – 32 chilenos e 1 boliviano – serão submetidos a exames médicos e receberão orientações antes de voltarem à superfície.

A seguir, alguns dados sobre essa operação:
– Durante a madrugada de segunda-feira, os especialistas terminaram de reforçar com tubos de aço os primeiros 96 metros do duto de 66 centímetros de diâmetro, pelo qual passará a cápsula de resgate.

– Depois que for concluída a instalação de uma grua e do sistema de içamento, trabalho que deve demorar até terça-feira, a equipe de resgate fará testes na cápsula, com e sem pessoas dentro do duto, antes de descer até o fundo da mina.

– Doze horas antes do resgate, cada mineiro passará para uma dieta especial de comidas muito pouco sólidas, e quando faltarem seis horas para sua vez de serem erguidos eles devem ingerir apenas líquidos, devido ao estresse emocional e físico que a operação implicará.

– Os trabalhadores já fizeram exercícios físicos preparatórios, e também receberam cintos biométricos para monitorar seus sinais vitais, para que os técnicos desenvolvam modelos prevendo como será a subida pela cápsula.

– Líderes da equipe de resgate dizem que primeiro subirão os tecnicamente mais hábeis, para lidarem com a possibilidade de que a cápsula fique retida em alguma parte do duto. Fontes do governo dizem que nessa etapa poderá subir o boliviano. Numa segunda etapa, devem subir os que estiverem mais debilitados, e por último os que forem psicologicamente mais fortes.

– Da equipe de resgate, descerão dois socorristas, um mineiro e um paramédico, que ajudarão os operários a entrarem nas cápsulas.

– Cada cápsula mede 3,95 metros de altura e pesa cerca de 460 quilos. Estão equipadas com arnês (cadeirinha com cinto de segurança), tubo de oxigênio e microfone. O capacete tem um alto-falante para manter comunicação permanente, durante a ascensão, com a equipe de regate na superfície.

– Os trabalhadores entrarão no “elevador” com um traje especial, feito de hipora, um tecido impermeável duplo que permite ao corpo “respirar” sem suar muito. A roupa interior possui fibras de cobre, que impedem a chegada de fungos e bactérias. Eles também usarão luvas.

– Por terem passado mais de dois meses sob a terra, cada mineiro subirá à superfície usando óculos escuros de última geração, com 100 por cento de proteção contra raios UVA, UVB e UVC, e com um sistema cromático que permite manter a nitidez das cores, além de lentes intercambiáveis para enxergar de perto e de longe.

– A subida – que deve levar 45 minutos por homem – será monitorada com imagens e sons.

– Uma vez na superfície, os mineiros terão contato com médicos, e em seguida serão levados para uma UTI móvel e para uma segunda zona de estabilização. Se estiverem em boas condições de saúde, poderão ser transferidos para uma tenda onde ocorrerá a reunião com os familiares.

– Depois de concluído esse processo, os mineiros serão levados de helicóptero a um hospital da cidade de Copiapó, onde ficarão por pelo menos 48 horas.

(Por Juana Casas, com reportagem adicional de Antonio de la Jara)

 

Reuters

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: